sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Também no Camboja só houve "erros"

Desde o momento em que foi denunciado o imenso esquema criminoso do Mensalão, os petistas, passando pela "filósofa" Marilena Chauí e terminando no Presidente Lula, apenas admitiram que houve "erros" dos companheiros.

Finalmente, para alívio do país, o Supremo Tribunal Federal indiciou todos os membros da "organização criminosa" que atuava no Planalto e no PT. Mas para os petistas todas as acusações são obra do "preconceito". E o Presidente Lula, no 3º Congresso do PT, pregou a solidariedade aos "companheiros" indiciados e voltou a dizer que alguns deles cometeram "erros". Os fins justificam os meios!

Estas reflexões me vieram à mente ao ler, no Estado de S. Paulo (20.set.2007), a notícia da prisão de Nuon Chea, o ideólogo do Khmer Vermelho e principal líder ainda vivo do grupo que governou o Camboja entre 1975 e 1979.

O Khmer Vermelho é responsável por um dos maiores genocídios da história. Cerca de 1,7 milhões de pessoas (de uma população de cerca de 7,5 milhões) foram mortas com atrocidades indizíveis pelo regime comunista pró-China instalado no país pelo grupo.

Chea era o número dois de Pol Pot, o líder máximo do Khmer Vermelho, e durante muito tempo comandou a S-21, onde houve torturas e execuções em elevado número. Chea, um dos principais responsáveis pelas atrocidades do regime Khmer Vermelho nega tudo (como os petistas!), afirma que nada sabia e diz que apenas houve... "erros":

  • O principal líder ainda vivo do Khmer Vermelho foi preso ontem no Camboja por crimes de guerra e contra a humanidade. ....

    'Admito que houve erros. Mas eu tinha minha ideologia. Queria libertar meu país. Queria que as pessoas tivesse bem-estar', afirmou Chea à Associated Press em 2004. 'Não usei a sabedoria para descobrir a verdade do que estava acontecendo, para verificar quem estava fazendo coisas erradas e quem estava fazendo coisas certas. Admito esse erro', disse ele numa entrevista. ....

    Depois de ter sido derrubado do poder em 1979, o grupo continuou travando uma guerra de guerrilha".

3 comentários:

caçadordementes disse...

Obrigado pelo comentário no meu blog.
Concordo plenamente com vc,desde que,explodiu o esquema mensalão comando pelo companheiro Zé,os petistas querem reduzir isso a meros erros,lamentável.
abraços

tita_coelho disse...

Se o PT rouba do povo é erro, e os outros petistas ficam solidários aos pobres ladrões... Se é outro partido, devem ir para acadeia e Deus me livre defender... Um dia escutei um absurdo, vou reproduzir; mas quero lembrar que é absurdo: " No Governo do Collor e do Fernando Henrique se roubou, mas com classe; agora no governo do PT eles dão de mão e não estão nem aí...perigo dizer que estão com a aprovação da população para roubar..." Horrível, né? Estamos no Brasil....

Paulo disse...

Ao ler seus comentários — muito pertinentes — a respeito da prisão do chefão do Khmer Vermelho (o sanguinário Nuon Chea), pensei: “pelo menos esse bandido comunista foi preso e agora vai pagar pelos crimes cometidos e ele, atrás das grades, poderá pensar: ‘eh o crime não compensa’”.
Isso lá no Camboja, mas “neste país” que lamentavelmente encontra-se em mãos petistas, os bandidos ainda dizem “neste País o crime compensa”.
Um exemplo disso, ENTRE MUITÍSSIMOS, é o caso Lamarca. Um verdadeiro atentado contra a inteligência, contra o senso de justiça e contra a hierarquia militar: o covarde Lamarca, também um bandido sanguinário, desertor do exército, ladrão comprovado, assassino frio, terrorista cruel, assaltante de banco, planejador da tomada do poder pela violência para implantar um regime ditatorial, foi premiado. Sua mulher — que não era sua esposa, pois não eram casados — receberá mensalmente do Governo Federal a bolada de 12 mil reais, além de indenizações a familiares. Mas pior que conceder esse benefício, é apresentar um bandido como modelo para nossa juventude. Triste governo que recompensa um traidor da Pátria; triste país que desse modo incentiva o crime; triste governo que mostra, com tal premiação, que “neste país” o crime compensa. Até quando “neste país” se renderá homenagens a terroristas sujos do sangue de heróis que deram suas vidas no cumprimento do dever pátrio? Enquanto o governo petista exalta um facínora, nossos verdadeiros heróis jazem no completo esquecimento. Só falta colocar uma imagem desse traidor da Pátria na capela do Palácio da Alvorada reaberta em fins de maio último. Imagem símbolo da deslealdade. Isto é inadmissível!