terça-feira, 15 de janeiro de 2008

O seqüestro "humanitário" das FARC

O seqüestro "humanitário" das FARC
A mídia internacional, quase sem exceção, continua a fazer repercutir a libertação das duas reféns das FARC, Clara Rojas e Consuelo Gonzalez, na operação "humanitária" conduzida por Chávez.

"Humanitária" vai propositalmente entre aspas. Porque a operação foi tudo menos um lance de humanitarismo. Foi um hábil golpe político, orquestrado pelas FARC de comum acordo com Chávez, o grande patrono da organização terrorista.

Chávez "advogado das FARC"
Em um próximo post voltarei a este tema, para analisar as inúmeras implicações deste lance. Ressalto aqui que o jornal ABC de Madrid, em seu editorial, qualifica Chávez de "advogado das FARC".

E o qualificativo é muito preciso, embora não seja o único aplicável a Chávez, em sua íntima relação com o grupo guerrilheiro marxista colombiano.

Na verdade, Chávez, após o lance "humanitário", seguindo o script de uma ação política amplamente orquestrada, acaba de pedir aos governos ocidentais que deixem de considerar o grupo de terrorista. E o passem a aceitar como uma força política e beligerante legítima.

O pedido é um verdadeiro golpe internacional dado por Chávez e um atentado à soberania colombiana. Mas há mais. Chávez proclama a íntima unidade ideológica entre seu governo e o movimento terrorista colombiano. E afirma que seu governo acompanha com muito interesse a luta armada das FARC.

Soltam duas, seqüestram seis...
Ora, as FARC, para fazerem coro com Chávez... realizaram mais um seqüestro!

Seis pessoas - das quais cinco colombianos e um norueguês - foram seqüestrados pelo grupo terrorista, alguns dias depois da libertação "humanitária" de Clara Rojas e Consuelo Gonzalez.

Na operação, no Oeste da Colômbia, os rebeldes teriam tirado os pertences dos turistas e levado dois professores, uma bióloga, um universitário e dois comerciantes.

Ou seja, num auge de escárnio e cinismo, as FARC libertam duas pessoas - para se prestigiarem e prestigiarem Chávez - e logo em seguida seqüestram mais seis. Seis que vão se somar às mais de 760 que permanecem em mãos do grupo terrorista, na selva, em condições de verdadeiro campo de concentração.

Fora os que já morreram brutalmente em mãos dos terroristas. É bom recordar que há dias, enquanto o "humanitarismo" das FARC e de Chávez freqüentavam os noticiários, foram encontrados, em uma vala comum, seis corpos.

As vítimas estavam amarradas, amordaçadas, e não tinham perfurações de disparos, confirmando que tinham sido assassinados com garrote e posteriormente degolados.

Em sua propaganda da "boa vontade" das FARC, a mídia internacional parece esquecer estes pequenos "detalhes" dos mais de 700 seqüestrados que continuam sofrendo na selva colombiana condições atrozes e cruéis - algumas delas há mais de dez anos - e dos mortos.

Chávez tenta golpear a Colômbia
Alguém ainda pode ter dúvidas quanto às verdadeiras intenções de Hugo Chávez, o protoditador venezuelano? Afinal a quem se destinam os 150 mil fuzis AK-47 comprados pelo coronel Chávez? E o que justifica a escalada armamentista levada a cabo por ele?

Chávez tornou-se o principal financiador das FARC, inclusive fazendo escoar grande parte da droga comercializada pelo grupo terrorista, segundo amplas e documentadas matérias aparecidas na mídia internacional. Hoje o território venezuelano é um "santuário" para os terroristas das FARC, acuados pelas operações militares colombianas.

E Hugo Chávez mostra estar disposto a interferir acintosamente em países sul americanos, para desestabilizá-los: Colômbia, Bolívia, Equador, Argentina... só?

Omissão cúmplice de Lula
Para finalizar duas pequenas notas:

1) Chávez não precisa mais pedir ao Brasil que deixe de qualificar as FARC como grupo terrorista. A diplomacia lulo-petista - orientada neste caso pelo Sr. Marco Aurélio Garcia - há muito se recusa a tal, exatamente sob a alegação de que as FARC são um grupo político legítimo.

2) O Presidente Lula se engajou inteiramente na operação "humanitária" de Chávez. É estranho, muito estranho mesmo, o silêncio que mantém quanto à agressiva proposta do presidente venezuelano. Tal silêncio só pode significar cumplicidade.

É alarmante - para dizer pouco - a atuação da diplomacia lulista em todo este episódio. No fundo, as FARC sabem que, além do apoio aberto de Chávez, contam com a omissão cúmplice de Lula.

Inclusive com a omissão, até ao momento, ante o novo seqüestro perpetrado por elas. O seqüestro "humanitário" das FARC.

Cadastre seu email aí ao lado e receba atualizações deste blog

4 comentários:

Therèse disse...

A União Européia e os EUA descartaram a proposta de Hugo Chávez de dar status político às FARC. Há um coro de duras críticas contra Chávez e suas declarações simpáticas à guerrilha de esquerda, dando respaldo a luta armada tanto na Colômbia quanto fora.
A libertação das duas reféns que estavam em poder das FARC foi considerada mera operação de marketing na pantomima comandada por Chávez.
A mídia erra, espetaculariza o drama de duas pessoas e relega a segundo plano a existência na selva de um campo de concentração, sob o comando de terroristas onde amontoam-se uns 800 indivíduos.
É esse grupo, que sequestra, mata, aterroriza, FARC que mereceu a condescendência do governo brasileiro numa nota asquerosa do Itamaraty.
Não negocia-se com terroristas e ponto final. Aumentemos o coro de repúdio à proposta indecente de Hugo Chávez.

Otaviano disse...

A velha guerrilha comunista colombiana que há 44 anos tenta implantar o comunismo na Colômbia obteve um advogado,realmente,cuja obsessão norte-americana o faz ferrenho adversário de Uribe. Chávez, patrono, advogado ou indiscutivelmente ligado às FARC, nelas viu excelente pretexto e objetivo para dominar o vizinho país da Colômbia.
Num espetáculo com assistência mundial, Chávez recebeu as duas sequestradas colombianas, um golpe de mestre que ficaria a dever a Marulanda. Logo pagou o mimo de Marulanda. Como? "que Uribe e os países europeus retirem imediatamente as FARC da classificação terrorista".
Só alienados ou de má fé poderiam ter dúvidas quanto a posição do ditador venezuelano e o séquito dos seus apaniguados.

tita coelho disse...

Achei um absurdo Chávez propor estatus políticos para os bandidos e traficantes das FARCS! Esse homem enlouqueceu mesmo!!
beijos bom final de semana

Anônimo disse...

Post interessante neste espaço, opiniôes deste modo demonstram valor ao indivíduo que reflectir nesta página !!!
Faz mais do teu sítio, aos teus seguidores.