sexta-feira, 21 de março de 2008

Aliança Governo-Oposição

Aliança Governo-Oposição
Nunca antes nesse País... se falou tanto de democracia e nunca ela foi tão fraudada.

Não, não vou falar das distorções, aviltamentos e fraudes que o atual governo tem infligido às instituições do regime democrático.

Vou falar da falta de oposição!

Esclareço desde logo que não me identifico com nenhum partido, motivo pelo qual me sinto à vontade para tecer comentários a respeito de qualquer um deles.

Divisão de semelhantes
Recuso-me a aceitar - como querem alguns - a divisão do país político em PSDB e PT. Uma divisão à qual se quer dar um alcance não apenas partidário, mas até social e de mentalidades.

Já se aventou até a possibilidade de um regime de alternância política entre os dois partidos, que acabasse por eliminar as demais organizações partidárias.

Tal divisão não se sustenta, pois o PSDB - pelo menos em boa parte - é afim ao PT e a seu projeto político. Seria a célebre divisão entre o seis e a meia dúzia.

É, pois, inadmissível tal reducionismo!

Oposição governista
A oposição do PSDB tem sido tímida e frouxa, por vezes meramente de fachada. Mais ainda, essa oposição nas horas críticas tem salvo o Presidente Lula.

O exemplo mais significativo se deu no auge do Mensalão, diante das escandalosas revelações de Duda Mendonça, quando a oposição desencorajou o presidente nacional da OAB de apresentar o pedido de impeachment já redigido por aquele.

Agora a CPI dos cartões corporativos parece um show para a platéia a fim de poupar PT e PSDB.

Uma análise mais acurada da realidade política mostra uma continuidade entre o projeto do PSDB e do PT. Afinal FHC se disse muito emocionado ao dar posse a Lula.

Teste mineiro
Minas é conhecida por seu tato político, por sua habilidade em promover articulações.

Ora, é precisamente em Minas que, neste momento, algo de muito importante se está testando (e gestando), que poderá ser altamente prejudicial à autenticidade e legitimidade do regime democrático.

Avança em Minas uma aliança PSDB-PT, com vistas à eleição municipal, aliança eleitoral "ousada e inédita" no dizer de Aécio Neves. Há as justificativas locais ("aliança em favor da cidade", no dizer do tucano), mas... mas há outras não enunciadas.

Parece evidente que se testa em Belo Horizonte uma aliança para uma futura solução presidencial ("aliança em favor do país" se dirá). Será por acaso que, há dias, Aécio Neves afirmou que, no caso de ser candidato à Presidência, não será o anti-Lula mas o pós-Lula? É esta a oposição (?!), ou pelo menos a parte mais significativa dela.

Fraude à essência do regime democrático
Não há democracia sem oposição. Quando a oposição de tal forma defrauda os anseios daqueles que nela votaram ou que nela depositam suas esperanças, está traindo a representatividade e ajudando a demolir um dos princípios básicos do regime dito democrático.

O País assistiria à aliança do governismo com a oposição e à criação de uma força hegemônica a dominar alternadamente o poder. Fora de dúvida um despotismo travestido de democrático.

Escória da política
Diz o povo que o "peixe morre pela boca", em alusão ao fato de que é quando abre a boca para comer a isca que o peixe morde o anzol.

Metaforicamente o ditado se refere aqueles que falam de modo inconseqüente e irrefletido e acabam se condenando por suas palavras.

Ciro Gomes é desses políticos que "morre pela boca". Célebre por suas afirmações desaforadas, proferiu mais algumas a respeito desta nova aliança. São reveladoras:

"Aqui o que eu vejo é que a escória da política não tem espaço. A hegemonia moral e intelectual que preside esse movimento que Minas está fazendo é tão eloqüente e importante que a escória da política deve estar apavorada com isso".

A afirmação, como disse é reveladora, pois dá a entender que quem está fora da aliança é "escória da política". Ou seja uma postura que fala a favor da tal hegemonia despótica que mencionei.

Mas Ciro Gomes acrescentou: "Eu me refiro a todos os setores que põem o interesse público de lado e negociam fisiologicamente frações de poder, de cargos, de emendas, de safadezas e de ladroeira".

Ora... esta é a descrição perfeita do governo Lula e de seu partido. Afinal um governo e um partido que têm uma quadrilha sendo processada no STF. Se somarmos a isso tudo o que o PT diz do PSDB está perfeitamente traçada a "hegemonia moral" de que fala Ciro Gomes... é por isso que o "peixe morre pela boca".

Cadastre seu email aí ao lado e receba atualizações deste blog

2 comentários:

Marcelo Scotton disse...

Caro José Carlos,

Obrigado pelos comentários. Sorte minha poder fazer um comentário recíproco -- e não amabilista -- a respeito de seu blog, muito bem escrito e de grande qualidade de idéias.

Um abraço,

Marcelo

MARCO ANTONIO disse...

Caro Sepúlveda,

É como sempre digo: O PT é um tipo de PSDB e o PSDB e úm tipo de PT. Poucas verdades são tão evidentes quanto esta.

Um abraço.