sábado, 2 de agosto de 2008

Ligações perigosas: FARC - governo Lula

Ligações perigosas: FARC - governo Lula
A denúncia é forte. A realidade era em parte conhecida. Só que agora as ligações perigosas do governo Lula com o terrorismo das FARC parecem ganhar a cena internacional.

Cambio, importante revista colombiana, dedica a matéria de capa de sua mais recente edição (31.7.2008) ao chamado "dossier brasileño".

Níveis escandalosos de colaboração
Segundo a revista, material encontrado nos computadores de Raul Reyes, o líder das FARC, morto em território equatoriano, revela que os vínculos das FARC com altos funcionários do governo Lula chegaram a níveis escandalosos.

Ainda conforme a mencionada revista, a pequena amostra de mais de 85 emails conhecidos, revela a importância do Brasil para a agenda internacional das FARC e deixa a nu como a organização terrorista se aproveitou da subida ao poder de Lula e do PT para reforçar sua estratégia continental.

O chamado "dossier brasileño", segundo a revista Cambio, teria implicações mais sérias do que as derivadas da documentação comprometedora relativa ao envolvimento dos Presidentes Chávez (Venezuela) e Correa (Equador) com as FARC. E suscita muitas interrogações que exigem uma resposta do governo brasileiro.

Sacerdote e "embaixador" das FARC
O personagem central da reportagem é Oliverio Medina (ou "El cura Camilo"), um sacerdote das FARC, elo de ligação com as autoridades brasileiras.

Importante dirigente das FARC, acusado de vários crimes no país vizinho, o "embaixador" das FARC chegou a ser preso no Brasil, mas tudo foi feito para que não fosse extraditado e recebesse até a condição de "refugiado político".

Uma vez obtida tal condição, Lula se congratulou com o fato, ainda segundo a reportagem. É bom recordar que as FARC, na ocasião, emitiram um comunicado (estampado em seu site) em que agradeciam todo o empenho do governo Lula em proteger Medina. Mais tarde, a mulher de Medina recebeu um cargo de confiança da Presidência da República.

Uribe entrega a Lula o dossier
A revista narra o modo pelo qual Lula se inteirou do chamado "dossier brasileño". Na recente visita à Colômbia, o Presidente Uribe, numa reunião reservada diante de poucas testemunhas, fez a Lula um resumo dos arquivos eletrônicos, encontrados no computador de Raul Reyes, que comprometiam funcionários do seu governo com as FARC.

Cambio menciona, entre outros, a José Dirceu, Gilberto Carvalho, chefe de gabinete de Lula, a Marco Aurélio Garcia, assessor de Assuntos internacionais do Presidente, ao chanceler Celso Amorim, a Paulo Vanucci, da Secretaria dos Direitos Humanos.

Imagem abalada
A imagem de Lula, espalhada internacionalmente por certa mídia, de um homem simples que ascendeu à Presidência e abandonou o discurso de esquerda, fica irremediavelmente abalada.

Não só Lula não abandonou a ideologia de esquerda (basta ver seu contínuo empenho em favorecer Chávez, Evo Morales, Correa, os Kirchner, na construção do socialismo do século XXI, propugnado pelo presidente venezuelano) como seu governo está comprometido com a esquerda terrorista.

Espera-se uma explicação convincente. Por enquanto, Marco Aurélio Garcia diz que as informações são... irrelevantes.

Ah, e para terminar, é bom ressaltar que a chamada "esquerda católica" está sempre presente nos desvãos mais sinistros do governo "companheiro". Afinal o "embaixador" era um padre junto a um governo inspirado pela "Teologia da Libertação".

Cadastre seu email aí ao lado
e receba atualizações deste blog 888

4 comentários:

Simone Serrou disse...

Sr Sepúlveda
Deixo a sugestão de quem lê seu blog, também ler o Mídia sem máscara, onde Olavo de Carvalho, assim como o sr e alguns poucos, sempre estiveram atentos a"obscena simbiose entre a narcoguerrilha colombiana e a farsa petista que nos governa".
Saudações

Anônimo disse...

até que enfim o que todo mundo já sabia agora fica documentado, vamos ver qual será a desculpa esfarrapada do rei Lula

Anônimo disse...

Bom, que eu saiba, Raul Reyes já tinha admitido para Folha de SP que o PT era representante das Farc no Brasil no governo FHC. Portanto, esta ligação está clara há muito tempo, não estou entendendo o espanto agora.
Afinal, Lula conhecia Reyes e as Farc participam do Foro de São Paulo.

Edson Carlos de Oliveira disse...

Parabéns pelo artigo, Sr. Sepúlveda.