terça-feira, 2 de outubro de 2007

A ideologia petista e o aumento do Estado

Voltemos às afirmações do presidente Lula de que "é preciso parar com a mania de achar que contratar gente para trabalhar para o Estado brasileiro é inchaço de máquina". Afirmação que remete para a retórica petista da "política de recuperação do Estado", em contraposição ao "neoliberalismo". (ver post abaixo Salto para o passado)

Gustavo Patu, da sucursal de Brasília do jornal Folha de S. Paulo (2.out.2007), escreve em análise intitulada Lula confunde e amplia governo e Estado:

  • "O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ampliou tanto a máquina do Estado quanto a máquina do governo, discursa como quem não percebe a diferença entre uma coisa e outra. ....

    Lula, porém, usou os argumentos aos quais os petistas mais ideológicos recorrem para justificar o aumento da estrutura do Estado. ....

    A confusão entre a burocracia anônima e os companheiros nomeados pode ser proposital - afinal, é menos difícil justificar o aumento de servidores na educação do que afirmar a necessidade da tal Secretaria de Planejamento do Longo Prazo e das centenas de novos cargos comissionados.

    Outra hipótese, não excludente, é que seja uma associação instintiva -porque o PT detém as maiores fatias tanto dos sindicatos do funcionalismo como dos melhores postos de livre distribuição do Poder Executivo.

    Especulação à parte, o fato é que a administração de Lula, desde o início, turbinou Estado e governo sem hesitações, mesmo nos tempos em que a contenção de gastos e a assimilação do ideário liberal ainda encabeçavam a agenda de sua equipe econômica. ....

    Em outras palavras, o governo passou a contratar servidores em quantidades superiores às das aposentadorias e mortes, e hoje o total de civis ativos do Executivo chega a cerca de 530 mil, mesmo patamar de dez anos atrás. ....

    Para o recorde de 22 mil cargos de confiança, as explicações oficiais são ainda mais vagas. O PT, que responde sozinho por um quarto das vagas preenchidas e cobra um percentual dos vencimentos de seus agraciados, não vê relação entre uma coisa e outra".
Divulgue: clique no envelopinho aí embaixo e envie este post a amigos.

4 comentários:

Lino disse...

Não concordo que o Lula não saiba o que está falando. Ele pode ser iletrado, mas é muito inteligente. Então, acha mesmo que a máquina precisa de mais gente, e não de mais eficiência.

tita coelho disse...

Mais uma vez o Presidente nos dá um típico exemplo de demagogia barata!

Anônimo disse...

ZEPOVO

Deixa o homem trabalhar, deixa o homem contratar.
Não vivem reclamando do serviço público, pois vamos contratar e melhorar....
Todos governantes incharam funcionalismo público, vamos ver se os tucanos se algum dia retornarem ao puleiro vão fazer diferente...

Mauricio disse...

Faltou aqui o Zé Povo dizer: deixa o homem aparelhar, deixa o homem roubar!

E que coisa ridícula essa de querer dividir o Brasil em tucanos e petistas. Será que só há isso no Brasil? Há brasileiros, dignos, honestos e que querem ver o Brasil na modernidade e não escravo do atraso. Não são os erros de uns que justificam os dos outros.

Deixa o Brasil viver e progredir.