sábado, 26 de janeiro de 2008

Carnaval de impostos

Carnaval de impostos
A
s lamúrias pela perda da CPMF ainda se fazem ouvir. De aqui, de lá e de acolá há vozes que insinuam a possibilidade de uma nova CPMF.

É evidente que se tratava de uma contribuição abusiva, que nunca se destinou ao fim a que se propunha e contra a qual se levantava forte oposição por parte da população.

Apesar de o governo (em particular o Presidente Lula e o Ministro Mantega) ter utilizado todos os meios para defender a prorrogação da CPMF - bordejando o "terrorismo" político e verbal - muitos estudiosos sérios demonstraram os benefícios do fim de tal contribuição.

Até escrevi um post sobre o assunto, para mostrar quem verdadeiramente ganhou com isso (leia Saiba quem ganha com o fim da CPMF).

Isto é incrível!
É claro que o governo lulo-petista não se importa tanto com a Saúde ou com o povo. Sua preocupação é, sobretudo, com o projeto de poder que quer ver estendido por muitos anos.

Por isso a fúria arrecadatória é insaciável. Um verdadeiro Carnaval de impostos.

É isso mesmo! Acredite, até aqueles que querem fugir da folia acabam pagando muito ao Estado.

A nota, Bocão insaciável, da jornalista Sonia Racy, no jornal O Estado de S. Paulo (26.jan.2008)fala por si:

  • "Da linha isto é incrível! Nem no Carnaval, o Leão amansa. Em um pacote de confete, paga-se 45,03% de imposto. Serpentina? 43,91%. E um colar havaiano? 47,16%.

    Está bem. Vai fugir da folia? Então deixe 37,48% de imposto no pacote de viagem."
Cadastre seu email aí ao lado e receba atualizações deste blog.

6 comentários:

Augusto disse...

Em cada 100 reais em riquezas que geramos, 36 foram para os cofres do governo, isso "traduzido" quer dizer que, no ano (2007), trabalhamos 146 dias "apenas" para pagar tributos,(365 - 146 = 219 temos pois, 219 dias para "suprir" as necessidades básicas da família: - alimentação, vestuário, habiração, saúde, transportes...

Otávio disse...

Tributo é o estágio mediato dos coerentes em inícios de 2008, onde apregoa-se uma Reforma Tributária mas, como reformar com despesas desmedidas, "fundos não contabilizáveis", nomeações deslocadas de suas reais funções, além de programas de cunho demagógicos?

Therèse disse...

Está tornando-se vulgar a afirmativa dentre os arautos do sistema de que "a carga fiscal aumentou porque a economia cresceu", é verdade pois a fase propícia fez o PIB da China crescer 11,3%; da Rússia 7,5%; da Argentina7,5%; da África do Sul 5,0%, do Brasil 4,8%... exatamente porque a economia cresceu esperava-se acentuada redução da carga tributária, entretanto, nunca se pagou tanto e "promete-se mais/mais".

Olívia disse...

Nunca "nestepaiz" houve tanto o "reclamar" que é inócuo. Mas demonstra que estamos exaustos de pagar elevados tributos e, a qualidade da prestação de serviços ser equivalente ao 5º mundo. O crescer dos impostos sem serviço à contendo, na "terra do gogó", de palavrórios sem base técnica, é um acinte a brasileiridade porque a relação coerente entre COBRAR e APLICAR é fundamental para um processo que diz - se democrático.

ZEPOVO disse...

TODOS os impostos mencionados já estavam em vigor muito antes de Lula.
No governo PT a arrecadação aumentou e muito por combate à sonegação.

Prefiro 100% de imposto no confete e na serpentina e 0% no papel para cadernos e livros, já que o negócio é fazer média...

Sissi disse...

Fico abismada quando percebo a ignorância de certos cidadãos que ainda defendem o govero lulo-petista, cujo ilustre presidente está no segundo mandato e não providenciou a REFORMA TRIBUTÁRIA, tampouco nossos ilustres senadores e deputados, e alguns cidadãos pensam que estamos em "Shangrilá" como o Zé Dirceu, Genuíno, zepovo etc. Terra dos macunaímas? Herói sem caráter, sem vergonha, antropofágico, mensaleiros,aloprados etc!